quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Cansei de criar expectativas...

Bom dia!
Confesso que não falo mais das possibilidades do Vila Nova subir para a Série A do ano que vem. Isto porque depois do jogo de ontem fiz um propósito comigo: é perda de tempo, e credibilidade, ficar falando dos altos e baixos - atualmente mais baixos - da equipe na Série B. Mas, isto farei depois de hoje. Após o que escrevo agora apenas demonstrarei minha satisfação em casos de vitórias.
O que me fez chegar a isto? Quem viu o jogo de ontem contra o Santo André sabe. O Vila teve o jogo nas mãos no primeiro tempo, apesar de alguns momentos de perigo em prol do time do ABC paulista. Pedro Júnior cansou de perder gols. Túlio foi eficiente. O meio de campo - Caíco foi um monstro no desarme e Alex Oliveira na armação. Contudo, os dois gols tomados foram culpa, novamente, de um time desatentao - especificamente meias, laterais e zagueiros. No primeiro o lateral fez uma tabela sem marcação e dentro da área do Vila teve mais raça. No segundo, com um a mais, os meias, zagueiros e laterais dormiram no ponto, e uma bola rasteira lançada para o bico da área passou por todo mundo até chegar aos pés de Márcio Mexirica, e este deslocou Max para marcar. Um fiásco, uma vergonha, inclusive a substituição de Givalnildo tirando um meia ofensivo, Alex Oliveira, por um de marcação quando tinha um a mais e mandava no jogo. Sinceramente, minha empolgação com o Vila acabou!
Bom, pensando em outras coisas temos a Seleção. Sim, o time do Brasil jogará hoje a noite contra a Colômbia no Maracanã. Hoje pela manhã acompanhando as notícias esportivas vi uma reporter afirmar que o fato de ainda termos muitos ingressos para vender está no habito brasileiro de deixar tudo para a última hora. Pode ser! Contudo, continuo defendendo minha tese de que a Seleção já não é mais um espetáculo que valha 150 reais, por exemplo. Apesar de os preços terem abaixado desde o último jogo no Engenhão, também no Rio, a Colômbia já não é aquele time dos anos 90, e o Brasil não dá espetáculo a tempos. Káká poderá alterar um pouco este cenário, mas, salvo engano, não teremos um Maracanã como outrora tínhamos em jogos do selecionado brasileiro. Salvo engano!
Bom, fico por aqui!
Tenham todos uma boa quarta, e até amanhã!

Inté mais!
Cleber B. Gouveia.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Seleções e competições outras...

Boa tarde!


Creio que todos meus leitores viram o jogo do Seleção Brasileira ontem. Creio também que estão satisfeitos com o resultado. Uma vitória, seja contra quem for, e por um placar elástico como o construído pelo Brasil, sempre é bem vinda! Mas, nem por isto, posso me furtar o direito de ponderar algumas coisas importantes. Estas são pontos positivos e outros nem tanto. Passemos a estes:


  1. Kaká: este é um jogador excepcional. O considero acima da média pelo simples fato dele, além de ter habilidade extraordinária com a bola, ter uma mentalidade presente em poucas cabeças de jogadores. Káká joga sempre pensando no gol, sempre objetivando a vitória. O primeiro gol do jogo mostrou isto. Ao receber a bola projetou-se em direção ao gol adversário e concluiu como poucos. Conclusão, aliás, é outro ponto forte de Káká. Como sabe bater na bola, colocando-a no lugar desejado. Confimando, portanto, minha previsão de sexta-feira, a seleção foi outra ao tê-lo em campo, e um lançe sintetiza minha afirmação: no final do primeiro tempo quando o time já vencia por 3 x 0 Káká pergou a bola em um contra-ataque e ficou desesperado ao ver-se sozinho partindo para o campo adversário. Ao invés de sentir-se satisfeito com o resultado, Káká parou a bola e chamou seus companheiros para correrem com ele para o ataque. Isto é seu diferencial: nunca está satisfeito.
  2. Defesa: a defesa do Brasil não teve muita exigência por parte do ataque da Venezuela, mas, quando foi exigida mostrou certas falhas. Uma delas é a incapacidade de fazer marcação em linha. Só no primeiro tempo foram, salvo engano, dois lançamentos feitos da defesa venezuelana para os seus atacantes onde só não saiu gol devido as limitações dos mesmos. E olha que Gilberto Silva tinha uma função de cobrir os zagueiros. No segundo tempo, ainda que a vantagem construída pudesse propíciar certa acomodação, tivemos outros 3 ou 4 lançes onde os jogadores Venezuelanos ficaram livres para cabecear. Em um destes lançes Júlio Cesar foi obrigado a fazer duas defesas extraordinárias para salvar o gol brasileiro. O jogo contra a Colômbia mostrará se estamos ou não certos em nossa avaliação, mas, até lá afirmo a necessidade de melhor organização do sistema defensivo do time brasileiro.

Falando um pouco sobre o futsal acredito numa final entre Brasil e Espanha, se esta não tropeçar como no último mundial. O jogo contra o Irã e contra a Itália demonstrou que o Brasil tem um único adversário: o trauma da Espanha. Sim, pois no talento não estamos longe dos espanhois, pelo contrário, eles aprenderam com os brasileiros, tantos os daqui, como os que lá jogam. Mas, assim como nas Olimpíadas há um trauma o qual vem nos impossibilitando chegar ao ouro, tanto no feminino como no masculino, esta geração do futsal brasileiro precisa vencer este "medo" dos espanhois. Se o time estiver com a cabeça bem, não temo em afirmar que somos campeões.

E por falar em campeões o presidente do Flamengo Márcio Braga precisa ir ao público pedir desculpas a sua torcida e ao seu elenco. Não que seja totalmente culpado pela derrota para o Atlético-MG. Não! Os jogadores novamente foram frágeis diante de sua imensa torcida. Não conseguem mais ter um Maracanã lotado como algo positivo, como arma poderosa contra seus adversário, pelo contrário! Mas, Márcio Braga não poderia ter feito o que fez. Anúnciar a festa de um título tão disputado, com tantos concorrentes fortes, fez com que não somente estes se fortalecessem como também os adversários do Flamengo. O Atlético veio mordido, e venceu com seus méritos, sendo favorecido pelos erros do seu adversário. Bruno, aliás, voltou a ser Bruno, e falhar feio.

E a Formula 1 continua emocionante graças a Massa e Hamilton. Hamilton foi afoito ao disputar o primeiro lugar na primeira curva. Raikkonen não se mostra na pista tão a favor de Massa, e, com certeza não iria segurar Hamilton até Felipe os alcançar, o que favoreceria Hamilton. O piloto inglês, porém, parece cometer os mesmos erros, e viu sua vantagem diminuir para 5 pontos a das corridas do final, em pistas totalmente favoráveis para a Ferrari. Se isto se confirmar, bastará Massa voltar a ser veloz, fazer as poles, e contar com a ajuda não somente de seu companheiro, como também do desafeto de Hamilton, Alonso, que parece voltar a ser rápido com sua Renault. Se tudo acontecer dentro do previsto, o título será decidido no Brasil, e, esperamos, a favor de Massa.

Tenham todos uma boa segunda!

Inté mais!

Cleber B. Gouveia.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Nada fácil para os favoritos

Boa tarde!


Ontem a noite tivemos mais dois importantes jogos da série A do Campeonato Brasileiro 2008. Mais dois times favoritos venceram, e não permitiram ao Grêmio uma folga maior do que 4 pontos. Amanhã Flamengo tentará, com mais de 60 mil torcedores, vencer o Atlético-MG, e assim se manter vivo na luta pelo título. Mas não terá vida fácil!
Afirmo isto pelas partidas dos outros times favoritos ao título. O Grêmio, por exemplo, venceu mas não mereceu! O Santos foi melhor! O São Paulo passou sufoco para romper a barreira humana do Naútico. O Cruzeiro teve sorte. Primeiro na cobrança de escanteio do Ipatinga que foi na trave. Depois, na cabeçada defendida por Fábio, de forma milagrosa. Ou seja, os times considerados mais fracos estão conseguindo "engrossar o caldo". Caio Jr, portanto, terá uma difícil tarefa diante do time de Minas.
Ainda sobre a Série A, não posso deixar de comentar duas coisas, ou pessoas, que têm chamado a minha atenção. A primeira delas é Mácio Braga, presidente do Flamengo, comemorando o sexto título estando na quinta colocação. O rubro-negro carioca não tem ganho com tanta facilidade. Pelo contrário! Teve que suar muito para vencer Ipatinga, Sport e Naútico. Tá certo que a tabela poderá favorecer, uma vez que Palmeira e São Paulo se enfrentam na próxima rodada. Mas, se o São Paulo vencer o Palmeiras, o tricolor paulista continuará sendo a pedra no sapato, pois até agora é o único dos favoritos que venceu o Flamengo no confronto direto. E concordo com Roberto Dinamite de que o Mengo não é imbatível, e o Vasco, apesar de quase, não está morto! Mais respeito Márcio Braga!
A outra parte que a mim chama a atenção é o mal humor de Muricy. Fala sério, né! Tudo bem que não precisa sorrir pra todo mundo, contudo, um pouco de educação faz bem! Aliás, se eu fosse torcedor do São Paulo não iria mais ao Murumbi ver os jogos da equipe. Afinal, para mim uma partida de futebol deve ser tal espetacular quanto uma peça no Teatro Municipal. Muricy deve achar que está acima de tudo e todos, só pode! Caso contrário, deve ser mal amado, o que não acredito! O certo é que, se fosse um dos reporteres já teria perdido a paciência. Contudo, sei que muitos aceitam isto porque necessitam de seus empregos que, me parece, tem como parte do seu dia-a-dia levar esporros de um baixinho não menos importante do que eles.
Finalizo novamente com a Fórmula 1. Mosley disse que Massa tem sido muito azarado. Concordo! Não como Rubinho o foi ao correr numa equipe onde Shumacher era o Rei - acho que ainda o é. Mas, por correr numa equipe a qual tem errado muito com ele nestes últimos dois anos. Hamilton, por sua vez, está bem confiante. Tanto que afirmou estar ensaiando "a dança da chuva" para Osaka. Infelizmente pela atual realidade - Hamilton correndo muito e a Macklaren com um excelente carro, de que o tenhamos que engolir! Só nos resta torcer!
Tenham todos um ótimo fim de semana, e vamos torcer pela Seleção de Futsal. A segunda fase não é tão complicada, e talvez ai tenhamos muito o que comemorar; gols e mais gols!


Inté mais!

Cleber B. Gouveia

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Futebol, Formula 1 e Futsal

Boa tarde!
Depois de alguns dias sumido - quem mandou querer se casar - estou de volta para falar um pouco daquilo que o esporte desperta em mim, e, confesso, estou entre a alegria e a a preocupação.
Alegria por ver Káká voltar a jogar pela seleção depois de quase sete meses. Acredito que ele não seja o salvador da pátria - no sentido de ser ele sozinho a solução - mas o jogo agora não ficará somente num vai e volta sem fim entre a zaga e o meio de campo. Claro! Káká gosta de pegar a boa e partir em direção ao gol. Se ninguém vai com ele, enfrenta seus marcadores e atira para o gol. Como tem uma excelente capacidade de finalizar, aumentam as oportunidades de gol, e com estas a alegria de ver um jogo da seleção. Afinal - gosto desta palavra conclusiva - Káká gosta de ganhar, e sabe como se ganha: jogando pra frente! Domingo veremos se minha tese será comprovada contra a Venezuela.
Quanto a minha preocupação o Vila Nova é o principal motivo. Não ganha um jogo pela série B a 4 partidas. O atacaque, principalmente Túlio - fez um e deu o passe para o segundo no jogo contra o Bahia - até que tem feito sua tarefa, mas, a defesa. Como pode deixar jogos contra times tão mais fracos como Bahia, Paraná e Juventude, levarem vantagem desta forma. Mais uma vez a equipe goiana irá torcer contra tudo e contra todos, e, mais uma vez poderá ser auxiliada pela tabela. O Baruerí com 48 pontos e, se vencer, terá o mesmo numero de pontos e uma vitória a mais, pega a Ponte, concorrente direta. O Santo André enfrentará o Corínthians no Pacaembú - e isto será favorável se o Corínthians jogar sério. O único que terá vida fácil, teoricamente, será o Avaí, pois pega o fraco Crisciúma. É torcer demais, mais uma vez!
Já na Série A o Grêmio foi favorecido. Sim. Houve um penalti não marcado a favor do Santos, e a expulsão de Eller poderia não ter acontecido. Não foi falta! Mas, o maior favorecimento na partida foi a "fomeagem" dos atacantes do Santos, principalmente Molina e Cuevas. Aliás, todo mundo que chegava frente ao gol gaúcho queria definir sozinho. O Santo, para mim, foi melhor. Buscou mais o gol. O Grêmio, apesar dos 2 x 0, não merecia ter vencido. Contudo, venceu, contou com o empate do Palmeiras, e hoje irá torcer contra São Paulo e Cruzeiro, e no sábado contra o Flamengo. Se estes tiverem um revés em seus jogos, volta o tricolor gaúcho a ter uma folga em relação aos seus principais concorrentes.
Ah!, não posso deixar de dizer que o Vasco quase voltou a respirar. O Empate foi bom, mas não o suficiente. Se seus adversários vencerem seus jogos ou empatarem, todos eles, o vasco volta para a lanterna. Mas pelo menos mostrou alguma reação no empate contra o Esporte na Ilha do Retiro.
Finalizo falando de futsal e Fórmula 1. No Mundial de Futsal uma primeira fase fácil, sem nenhum problema. Ontem, alguém até me disse: "que goleiro tem o Brasil. Vai ser fácil!". Bem, não tiro os créditos dos jogadores. São realemente muito bons. Contudo, pegamos times fáceis - tirando a Russia atual campeã europeia. Mas, não é tão fácil assim. Nesta segunda, e se passarmos, terceira fases, pegaremos times melhores que Japão e Ilhas Salomão. A Itália e a Espanha estão pelo caminho. Aí, sim, mostrarão nestes confrontos se são mesmo, ou não, os melhores do mundo de novo.
Na Fórmula 1 Raikkonen abriu o jogo: correrá por Massa. E como o Massa precisa. Precisa vencer todas as três corridas e Raikkonen ficar em segundo em todas, isto se Hamilton estiver sempre no pódio. Caso contrário, os erros infantis da Ferrari realmente terão tirado o título de Massa. Ah!, ainda tem o Rubinho não incentivando Bruno Senna a correr pela Honda no próximo ano. Tudo bem que a Honda não tem carro mesmo e Senna poderia se queimar ainda mais que o Nelsinho Piquet. Mas, será que Rubinho não está querendo é segurar o seu lugar na equipe. Entretanto, como Senna está negociando também com a Toro Roso, penso que esta equipe se mostra hoje melhor que a Honda. Mas, Honda é Honda!

Bem, um bom resto de quinta a todos, e bons jogos a noite!

Inté mais!


Cleber B. Gouveia.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

No vai e vem dos resultados e notícias....

Bom dia!
Um dia após o outro, e o equilibrio do futebol brasileiro nos impondo o cuidado ao fazer afirmações, e a ombriedade de mantê-las quando alguma tragédia aconteça. Bom, foi o que ocorreu ontem, no serra dourada.
Apesar de iniciar bem a rodada dupla com a vitória do Brasiliense sobre o Bragantino, e terminar bem com a virada do São Caetano sobre o Barueri, o Vila conseguiu desapontar em mais uma partida considerada fácil, e deste vez dentro de casa.
Isto pode fazer falta no final. E "isto" significa perder para times como América, e Juventude, levou dois do Parana em pleno Serra Dourada. Eh preciso tomar muito cuidado, pois o Vila se mostra desligado quando enfrenta times considerados inferiores ao seu, e, o futebol tem mostrado que pensar assim tem sido um grande erro. Que o diga o Juventus da Italia. Ontem conseguiu empatar em 2 x 2 com o Bate Borisov. E quando digo que conseguiu, é porque conseguiu mesmo, uma vez que saiu perdendo por 2 x 0 e o jogo foi duro.
No Futsal deu o resultado normal. Em sua estreia contra um time sem tradição alguma no futebol de salão, 12 x 1 acabou sendo pouco diante da superioridade brasileira. A grande questão, portanto, não é se o Brasil conseguirá chegar a uma semi-final ou final do torneio. A grande questão é: conseguirá, enfim, vencer a Espanha? O selecionado espanhol pode estar com seus principais carrascos já um pouco envelhecidos. Mas, nossos craques também estão. Que o diga Falcão!
Na formula 1 vemos os resultados de algumas conversas de bastidores aparecendo. Nelsinho pode perder sua vaga para outro brasileiro na Renault, Lucas Di Grassi, e Barrichelo, da Honda, podera ficar sem equipe para o ano que vem, já que Nick Heidfeld está negociando com a equipe japonesa para ocupar o lugar do veterano em 2009. O Certo é que a paciência parece ter acabado nas duas equipes, e poderemos ter menos brasileiros no círculo da Formula 1 no ano que vem. So não teremos se Di Grassi e Bruno Senna assinarem com alguma equipe.
Bom, espero que todos tenham uma ótima quarta! Porque eu terei! Inté mais.

Cleber B. Gouveia.

domingo, 28 de setembro de 2008

Ferrari, brasileiros e outras coisas mais...

Boa noite!
Começo falando hoje a respeito da Formula 1. Como pode uma equipe como a Ferrari errar tanto contra um único piloto? E isto não é de hoje, ou melhor, somente nesta temporada. Desde o ano passado Felipe Massa vem sofrendo com os erros da equipe italiana, e muito. Neste ano podemos computar no mínimo três erros, o que pode tirar de Filipe um título merecido! Afinal, são seis poles e cinco vitórias, fora a corrida onde ficou sem motor a três voltas do final. Cingapura, portanto, foi o "fim da picada" e a Ferrari, por ser Ferrari, não pode mais se dar ao luxo de errar tanto.
Fico a imaginar se isto ocorresse com Shumacher. O Mundo teria desabado para os mecânicos, os quais não encontrariam emprego em lugar algum no automobilismo. Massa, entretanto, se compadece e prefere não ser o carrasco dos que falharam, apesar de saber que tem sido, e muito, prejudicado por estes erros constantes.
Erros estes os quais me fazem concluir, pelo histórico dos brasucas na equipe Ferrari, que esta se mostra como um pessímo lugar para os brasileiros. Foi assim com Rubinho, e tem sido com Massa. Podemos até pensar que esta não seja a melhor equipe para um brasileiro voltar a vencer. Tomara que esteja errado. O Certo, porém, é que Hamilton abre sete pontos e temos apenas três corridas para o final da temporada, e, como disse Felipe em sua entrevista após o grande Prêmio de Cingapura, quem sabe algo de errado ocorra com Hamilton nestas etapas. E, Massa, infelizmente o que nos parece restar é torcer para que isto ocorra, caso contrário Hamilton desta vez levantará a taça.
No volei de quadra masculino ficou comprovado o esperado. A renovação será traumática. Se houvessemos vencido as Olimpíadas Bernardinho teria condições de fazer esta transição sem muitas cobranças, pois teria acumulado "moral" para isto. Contudo, as derrotas no Pan, na Liga e na Olimpíadas para os EUA não lhe darão tanto tempo assim. O que espero é, pelo fato do Volei não ter, ainda, o mesmo pensamento dos clubes de futebol, onde resultados imediatos determinam se o técnico fica ou não, Bernardinho ter a capacidade de passar tranquilidade e força mental para os novos e antigos jogadores durante este processo. Este, aliás, determinará os próximos anos do volei masculino.
Quanto ao futebol tivemos um fim de semana emocionante. Lá embaixo vemos um cenário trágico para o futebol carioca. Vasco e Fluminense se mostram incapazes de reagirem, e são sérios candidatos para o descêncio. O Santos desta vez não conseguiu nem vencer na Vila, apesar de Kléber Pereira continuar sendo o melhor centroavante do campeonato. Como o Ipatinga vem mostrando capacidade de reação, é bom estes três campeões brasileiros da série A ficarem atentos, caso contrário poderão fazer com que a Série B continue em alta devido a presença de grandes times.
Na ponta de cima vemos que nem tudo está definido, a não ser a queda de rendimento do Botafogo e Grêmio, e da regularidade do Palmeiras, hoje lider do Campeonato por ter uma vitória a mais que o tricolor gaúcho. A irregularidade do Cruzeiro pode custar caro. Flamengo e São Paulo (este último jogando muito nas últimas rodadas) mostram que não darão chances para o vacilo de seus concorrentes. O Inter (para mim o melhor elenco da competição) também parece ter encontrado o entrosamento entre suas estrelas capaz de o colocar de forma definitiva na briga pelo campeonato, no mínimo pela vaga na Libertadores. É esperar para ver se confirma todas estas tendências.
E, como esperado, o Goiás venceu fácil o Vitória. Agora, com o Vila mantendo a regularidade, fica mais forte a impressão de que Goiás terá dois representantes na principal divisão do futebol brasileiro. Não fosse esta boa notícia, temos ainda o Goiás bem perto da zona da Libertadores, e, se continuar neste rítmo, e contar com a irregularidade de seus principais adversários pela vaga, poderemos ter novamente um time goiano na principal competição do continente Sul Americano. Só espero que a diretoria esmeraldina prepare melhor a equipe para tal competição.
Fico por aqui, desejando a todos um bom início de semana!
Inté!

Cleber B. Gouveia.

sábado, 27 de setembro de 2008

No Futebol e na Formula 1 um fim de semana de decisões!

Bom dia! São 46 minutos de um novo sábado.
O fim de semana começou bem para o futebol goiano. Passados os sustos (até certo ponto normais) de uma derrota e um empate com times inferiores na tabela, o Vila Nova, novamente, voltou a vencer, em casa. Gol de quem? Túlio, o Maravilha! Sim, pois é bom ver alguém que joga por prazer fazer gols importantes, como o que Túlio marcou para o Tigrão, mantendo-o na segunda posição, a matematicamente 10 pontos da classificação para a Série A, e se distanciando de concorrentes diretos como Santo André e Ponte Preta que empataram seus jogos ontem. A situação poderá ficar ainda melhor se Bragantino e Barueri empatarem, e o Avai empatar ou perder para o Bahia. Ai o Vila ficaria com cinco ou seis pontos do quinto colocado. Uma boa vantagem para a reta final do campeonato.
Agora, para o fim de semana ser completo para os goianos, basta uma continuidade da boa fase vivida pelo Goiás, o qual, se vencer e houver uma combinação de resultados (empates de Flamengo, São Paulo, Botafogo e Curitiba) podem fazer com que o Goiás seja alçado para a quinta posição a um ponto da zonha da Libertadores.
Falando de outros jogos interessantes, temos os clássicos: Botafogo e Fluminense. Quem perder se verá numa situação delicada. O Botafogo pode ficar um pouco mais longe da vaga para a Libertadores, e ver uma crise ainda sem muita força, crescer, atrapalhar o ambiente até agora bom no time de Severiano. O Fluminense, caso perca, ficará ainda mais preso a zona do rebaixamento. Como já caiu uma vez, isto pode fazer o clima nas Laranjeiras ficar muiiito tenso. Aliás, mais tenso ainda. São Paulo e Cruzeiro fazem o jogo de "seis pontos". Se o São Paulo perder perde mais que três pontos. Pode perder até mesmo a empolgação. O Cruzeiro, se perder, não somente poderá ter companhia na terceira posição, como também se complicar na busca de Palmeiras e Grêmio, caso estes vençam.
O Palmeiras, aliás, poderá assumir a liderança. Digo isto porque o Grêmio jogará contra seu principal rival. E clássico é Clássico. Já o Palestra terá um Naútico meia boca. E acredito que, se isto acontecer, Wanderlei poderá comemorar seu sexto título nacional neste ano.
Fechando, daqui a pouco teremos o treino oficial de sábado para o Grande Prêmio de Cingapura. Com um traçado de rua, o qual segundo Hamilton exige um esforço físico maior que o exigido em Mônaco, largar a frente de todos já é uma grande vantagem, quase um garantir a vitória. Assim espero ver Massa sendo Massa: andando rápido com efiência. Se o fizer, e vencer neste fim de semana, creio, ele será o grande campeão da temporada. E que seja no Brasil, pois em casa é mais gostoso, e, convenhamos, precisamos disto, não é verdade?
Espero que todos tenha um ótimo fim de semana e até a próxima! Inté!

Cleber B Gouveia.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Vamos falar um pouco da seleção...de futebol.

Bom dia!


Sexta-feira, vespera de mais uma rodada importante do campeonato brasileiro, e dia de comentar a convocação da seleçao brasileira.
Pois bem. comecemos pelo começo. Júlio Cesar definitivamente é o goleiro para a Copa de 2010. A outra vaga está em disputa, e, Roni, é o favorito pelo número de jogos feitos com esta, inclusive como titular na Copa América.
Nas laterais, Maicon parece não sair mais da direita. Fica ai uma disputa entre Rafinha e Daniel Alves. Tá bom! Maicon fez um lindo gol no último jogo da Inter de Milão, mas continuo com minha opinião pessoal de que ele faz bem isto: cruzar ou chutar para o gol. Se um jogo exigir mais do que estes dois fundamentos, ele se anula. Daniel Alves é um bom lateral. Desde seu último clube e no Barça vem mantendo a regularidade. Possui também o perfil do ala moderno, o qual joga pelas laterais, cruza, chuta, mas sabe ir para o meio tabelar e procurar os espaços vazios com mais facilidade que laterais convencionais como Maicon.
Na lateral esquerda, pouco a dizer. Gilberto parece ter perdido espaço de vez e, Kléber, ah!, este é amado por Dunga. Continua ali, de boas, só viajando, aliás, jogando. Pode até voltar a render o futebol dos tempos de Corínthians, mas teria que ficar fora como Ronaldo Gaúcho, por falta de futebol. Juan, este particularmente espero que aproveite a oportunidade dada, e, ao voltar ao Flamengo, jogue como sempre jogou: com vontade e para o time. Porque, se fizer como da última vez, retiro meu pedido de convocação. Tá! É a segunda convocação, e ele ainda tem creditos na seleção. Mas refiro-me ao seu futebol no flamengo. Contra o São Paulo Juan jogou para si. Achou que era o melhor do mundo, e que resolveria tudo sozinho. Aí não dá.
No meio sem muitas surpresas. Gilberto Silva mesmo decadente continua, Josué melhorou e se manteve, Lucas e Anderson são uns do melhores da nova safra (Anderson só precisa ser mais humilde, pois isto ajuda muito), Elano é figurinha carimbada nas convocações de Dunga, tipo uma referência, Baptista compõem o elenco (gosto dele), Kaká, já era tempo, e Mancine. Ah, este precisava jogar na Seleção faz tempo. Espero que na posição que o consagrou no futebol Italiano, pois no meio ele não joga. Há muitos jogadores. Está congestionado. Bom, quem sabe no lugar de Ronaldo Gaúcho pela esquerda, hein?
No ataque, os mesmos dos mesmos. Luis Fabiano é o central. Joga muito. Pato, bem, é a aposta, o novo Ronaldo. Tomara que os últimos jogos no Milan lhe dê a confiança necessária. Jô também é jovem promessa, menos craque que Pato (ou menos badalado), e Robinho, bem, este tem futebol. Só precisamos saber se está com a cabeça para jogar o que sabe na seleçao.
Senti apenas que Amauri, atacante da Juventus da Itália poderia estar na lista. Tire um meia. Gilberto Silva, Júlio Batista. Ele está arrebentando a tempos. Temo que percamos este grande matador. A Itália está louca para naturalizá-lo, e Dunga tem que ser mais esperto. Afinal, já convocou até Afonso.
Bem, tenham um bom final de semana.
Inté!


Cleber B. Gouveia

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Futebol mais igual? Acredito que sim!

Boa noite!
Confesso que torcer não é uma tarefa muito fácil. Ainda mais nos dias de hoje onde futebol é algo muito nivelado. Até mesmo equipes consideradas cheias de craques não têm mais soberania em seus jogos, mesmo que seja com um time considerado inferior. Talvez tirando o Corínthinas, o qual facilmente está caminhando de volta à série A do Campeonato Brasileiro, os outros têm tido uma lida mais dificil.
Pensemos na Série B. Ali, tirando o Corínthians, o qual dificilmente perde um jogo para times considerados mais fracos, os outros líderes do campeonato estão vacilando em jogos fáceis. Que o diga Vila Nova. Nos últimos 4 jogos venceu dois concorrentes diretos pela vaga na Série A: Avaí e Santo André. Mas, em compensação, perdeu para o América, então lanterna, por 5 x 2. Para o Juventude após estar vencendo por 3 x 1, e empatou de forma sofrível com o Criciúma por 1 x 1. Sorte que seus adversários não estão sabendo aproveitar as vaciladas da equipe goiana.
Na série A o Flamengo teve que sofre muito para vencer o Ipatinga por 1 x 0. O Botafogo levou uma virada sensacional da Portuguesa, uma das últimas colocadas e com um elenco pior que a equipe carioca. O Grêmio empatou em 0 x 0 com o Atlético Paranaense, time de tradição, porém muito fraco neste ano.
Lá fora, vejamos o Milan. Este tem Ronaldinho Gaúcho, Káká, Shevchenko, Pato, entre outros, e venceu com dificuldades a Regina. Tudo bem que Pato vem conseguindo voltar a fazer gols importantes. Mais uma vez deu a vitória a equipe milanesa. Entretanto, não tem sido fácil.
Nas Eliminatórias para a Copa de 2010 no Continente Europeu, por exemplo, a seleção lider do Grupo A (Grupo de Portugal, Dinamarca e Suécia ) é a Albânia. Portugal é o terceiro colocado. No Grupo 7, onde está a França, a lider é a seleção da Lituânia, até então um país de grande tradição no Basquete. A França, atual vice-campeã mundial, é apenas a quarta colocada. Até a Macedônia está vencendo jogos.
Porderia citar aqui outros exemplos. Há muitos como o Manchester United que ainda não pegou na Liga Inglesa neste ano. É certo que os campeonatos na europa estão começando, entretanto, não podemos negar o fato: "o futebol está ficando cada vez mais igual". E não digo por baixo. Creio apenas que outros estão aprendendo a jogar. O Milan não queria trocar um Pato por um Goh, acho?
Ah, claro, não poderia deixar de falar do Brasil. Este sim é um grande exemplo de como está nivelado. Mas aqui penso mais no nivelamento da falta de vontade de jogar pela seleção. Cerca de 90% dos jogadores do Brasil não têm mais o sentimento de "jogar pela nação". A culpa não é totalmente deles. O país é assim! Falta amor, patriotísmo! Mal sabemos cantar o hino, e a maioria não canta. Acredito que, apesar de outros estarem aprendendo a jogar futebol, estudarem melhor nossos jogadores e terem mais confiança que podem marcar, anular os craques do Brasil. se tivéssemos mais vontade, isto faria muita diferença. Pois ainda somos melhores que o resto do mundo.
Bem, amanhã teremos mais jogos para falar. Seleção Brasileira de Volei, Copa Sulamericana e outros.
Abraços e inté mais!

Cleber B. Gouveia.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Inveja ou Hipocrisia?

Bom dia!

Inicio minha semana na terça. Não por que defini segunda como minha folga. Tempos atrás o era. Contudo, por falta de oportunidade, diga-se tempo, para parar e escrever.
O fim de semana foi espetacular. Com o empate do Grêmio e as vitórias de Palmeiras e Cruzeiro três times se embolam na luta pelo primeiro lugar. Digo primeiro lugar pois acredito não estarem sozinhos na busca pelo título. O flamengo e o São Paulo estão a apenas sete pontos do lider, e, num campeonato de 3 pontos por vitória esta vantagem é quase nada. Digam Flamengo e Grêmio, os quais neste campeonato já chegaram a lideram com vantagem próxima a dez pontos. O Flamengo em sete jogos quase jogou o campeonato para o alto, e o Grêmio vê Palmeiras e Cruzeiro já no retrovisor vindo no vácuo ao final da reta.
E o Robinho, hein? Nem mesmo o melhor analísta de futebol do mundo diria que a sua transferência iria causar tanto alvoroço no futebol europel. É claro, todos sabiam de como seria a reação dos diretores e do técnico de Real Madrid e Chealse. Afinal, estavam disputando passo a passo, ou melhor, euro a euro, o talento do atacante brasileiro. Agora, sinceramente não esperava que fosse durar tanto, e com interferência de jogadores como Ballack.
O que mais me irrita é, ou a inveja, ou a hipocrisia do mesmo. Ballack criticou Robinho pelo fato do mesmo ter deixado o Real por, é brincadeira, dinheiro! E, quando digo ser ou inveja ou hipocrisia, é por ser, o futebol europeu, movido pela abundância de dinheiro, alguns para lavagem, como se desconfia no caso do próprio Chealse, vindo de Bilhionários russos ou do oriente médio, e pelo desejo dos melhores jogadores do mundo e ganhá-lo.
Ora, se oferecem e pagam horrores ao jogadores, querem o quê destes? Desapego franciscano? Queriam que Robinho dissesse: "não, não quero os milhões de euros que vocês querem me pagar. Jogo por amor. Bastam dar a chuteira, comida, roupa lavada e casa, e tá valendo! Aliás, vim para o Real Madrid por amor. Amo este time deste pequeno!". Era o que faltava né?
E, se o é assim, então que os jogadores, a começar por Ballack. E os técnicos, a começar por Bernd Schuster, recusem os clubes que queiram gastar milhões por seus talentos. Aí sim, teremos a volta nostálgica aos tempos do futebol jogado por amor à camisa do clube. Seria até melhor para nós brasileiros. Nossos times não teriam tantas dívidas, na maioria trabalhistas causadas pelos altos salários pagos às estrelas; não teríamos a evasão dos melhores para a europa, e seríamos, com certeza, campeões mundiais com muita mais facilidade. Ah, outra coisa, teríamos uma seleção brasileira jogando no Brasil para brasileiro ver. Mas, esta é uma ultopia. E como toda ultopia, não realizável.
Tenham um Bom dia!

Inté!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Um início de fim de semana movimentado!

Boa noite, quase dia!

Quase não consigo entrar no blog para postar! Mas, pela graça de Deus, estou aqui.
Bem, na Europa, especificamente na Inglaterra, Felipão parece realmente demonstrar que está pronto para ser campeão europeu com uma grande equipe. Mas, isto não veio do nada. Seu trabalho no Brasil é a base na qual conseguiu construir com trabalho e inteligência o respeito internacional demonstrado pela imprensa.
Vendo os gols dos jogos da primeira rodada da Copa dos Campeões da Europa, vi um Felipão dos tempos de Grêmio, Palmeiras e Seleção Brasileira. Sempre ligado no jogo, bastante capaz de ler o que acontece em campo e passar aos seus comandados. E, em suas entrevistas ele avisa: quer mais de seus comandados, o que, creio, conseguirá no decorrer dos jogos vindouros. E, para isto, terá mais um brasileiro no time: Mineiro. Sim, o ex-jogador do São Paulo, atualmente na Alemanha foi anunciado hoje pelo Murtosa como o substituto de Essien, lesionado.
E o Vasco, hein! Repatriou Renato Gaúcho. Com ele a esperança de escapar do rebaixamento. Renato terá, mais uma vez, uma tarefa difícil na equipe de São Januário, uma vez que o Elenco tem poucos jogadores diferenciados (Edmundo já perto dos 40, Leandro Amaral nervoso com seus companheiro, e o goleiro Tiago). Renato, por sua vez, tem talento para tanto. Já fez isto uma vez no próprio Vasco. Contudo, temo que ele acabe por ser um treinador somente de times do Rio, de forma específica o Vasco. Seria um novo Joel?
E na volta ao Brasil os atletas para-olímpicos esbanjaram aquilo que os olímpicos não conseguira: medalhas de ouro! E, se em Atenas Clodoaldo da Silva foi o destaque, neste ano em Pequim dois atletas, também da Natação, mostraram a força do Brasil para-olímpico: Daniel Dias e André Brasil. Juntos, conquistaram 8 ouros! 4 cada. Daniel ainda troxe consigo mais quatro medalhas de prata e uma de bronze, tornando-se o atleta que mais medalhas ganhou em Pequim, com nove. Não podemos nos esquecer de Lucas Prado, com 3 ouros no atletismo, o que o fez o atleta cego mais rápido do mundo. E, diante de fato, não posso me negar a ver o grande feito destes atletas, vencedores não somente de uma competição realizada a cada 4 anos, mas em todos os dias, de cada ano de preparação, e de cada dia vivenciado num país ainda despreparado para o convívio social dos mesmo!
Finalizo hoje com grandes expectativas para a rodada do Brasileirão da Série A. Creio que teremos neste fim de semana esclarecido a dúvida se o Grêmio irá ou não deixar escapar a boa vantagem que tem para os demais concorrentes. Veremos também se o Palmeiras se firmará como o maior concorrente dos gaúchos, e se o São Paulo estava tão irregular devido a um relaxamento natural de seus jogadores, ou se a equipe realmente não é mais a mesma dos últimos anos.
Ah, não quero fechar sem antes dizer que estou preocupado com o Vila. Não se pode perder um jogo como o de hoje. 3 x 1 já no segundo tempo, e perder de virada por 4x3 nos acrescimos deve acender a luz de alerta nos jogadores. Afinal, para se chegar até a série A é necessário mais do que jogar um bom futebol. É preciso estar ligado o tempo todo, até o juiz dar o apito final, e, isto, hoje, o Vila não fez!
Tenham todos um bom sono, um bom fim de semana, e até segunda! Inté!

Cleber B. Gouveia

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Uma quinta feira daquelas...

Boa noite!


São quase 23 horas e estou decepcionado. Esta quinta feira, em pleno desenvolvimento de campeonatos importantes no Brasil e na Europa (onde estão os principais campeonatos e times), e não tenho nada para falar.
Quando digo nada, refiro-me a algo que mereça ser comentado. Você pode dizer: "comente o golaço de pato na Copa da Uefa!". Ok! Comento sim: uau! Que golaço!". Contra quem mesmo? Zurique?! Hummm! Ok! Só que o Milan parece não se importar tanto com os gols de Pato. Segundo a imprensa especializada estão querendo dar o garoto, no bom sentido, é claro, como moeda de troca por um volante. O nome dele é... Hum... Deixa-me ler aqui... Ah, o nome dele é: Gokhan Inler . Confesso nuncar ter ouvido falar, e é um, pasmén!, suíço. Fico imaginando se fosse com o Robinho. Penso que ele diria: "querer me colocar como troco pelo Cristiano Ronaldo até vai, mas, por um, Gookhan, volante... Ah...vai pagar "pato" para outro" . Tá, Alexandre, o Pato do Milan, tem a seu favor que é apenas um empréstimo, para sua melhor adaptação ao futebol italiano, e blá blá blá, blá blá blá, blá blá!
Bom, além desta matéria inusitada, pensemos um pouco mais. Sobre mais o que podemos falar? A respeito das sedes da Copa de 2014? Bem, a briga vai esquentar, uma vez que o Governo do Estado de São Paulo tem feito de tudo para o Morumbi ser, além de palco de alguns jogos de um dos grupos da competição, também do jogo de abertura da Copa. Bem, todo mundo sabe, e vou repetir: Brasília está no páreo para tal fato. Mas todo mundo sabe que Brasília, para a grande maioria dos brasileiros (meu amigo Ézio e outros defensores da capital que me perdoem), não representa muita coisa, a não ser sujeira, corrupção e mais corrupção.
Eu, entretanto, como bom goiano que sou, torço pela abertura em Brasília. Afinal, fica perto de casa, e acima de tudo é a capital do Brasil, congrega cidadãos (torcedores) de todos os Estados da Federação, etc, etc... Ah, e o poder econômico já está acima de Sampa (ou quase). O Certo é: Brasília abre, e São Paulo e Rio de Janeiro brigam pra sediar a final. Pensando bem, Brasília poderia ficar com a final, não acham?
Bem, entre outras notícias o São Paulo continua mirando a elite paulistana (novidade) e lança sua grife (Richarlyson é o modelo oficial?). O Palmeiras vê Luxemburgo brigar porque seus jogadores não estão tão motivados com a Copa Sul-Americana. No Corínthians Cristhian, ex-flamengo, chega para um grupo bem cheio de jogadores (para alegria dos flamenguistas só falta o Jailton ir para o Vasco, não acham?), e outro possível escândalo financeiro explode nos bastidores da diretoria devido a um emprestimo feito pelo empresário de Mano Menezes, e coisa e tal.
Melhor falar de Formula 1.
Na briga para ver quem manda mais, Bernie Ecclestone venceu a poderosa Globo. Esta queria a largada do Grande Prêmio Brasil de Formula 1 acontecendo às 14 horas. Afinal, teria a audiência do domingo toda para si. Ecclestone quer às 15 horas, pois tudo indica a pista do Brasil como sendo o local de definição do campeão deste ano, como o foi no ano passado. Aliás, na etapa do ano passado a transmissão para a Europa bateu recordes de audiências neste horário da 15 horas. Assim sendo, a Globo terá que aceitar, pois, como diz o velho ditado: "manda quem pode, obedece quem tem juizo". Quero só ver o que o Calvão irá dizer no dia. Alguém tem algum palpite?

Bom, vou dormir! Inté mais!

Cleber B. Gouveia

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Um pouco de cada coisa no futebol e no volei...

Boa noite!


A Copa dos Campeões da Europa começou, e a rodada de abertura não poderia ter sido melhor para os brasucas!


Começando pelos jogadores, Adriano marcou assim que entrou no jogo da Inter, a qual venceu com mais um de brasileiro; Mancini. Este, aliás, é um daqueles bons jogadores nunca lembrados pelos técnicos da seleção, e, se lembrado pela boa fase, ainda que faça um bom jogo, não volta. Mancini diz estar motivado para voltar à seleção, algo pouco provável com Dunga no comando, uma vez que este já tem seus escolhidos.


Diego do Wender Bremer e Juan e

Entre os menos conhecidos do torcedor Brasileiro, destacam-se dois: Fernandinho e Jadson. O primeiro abriu o placar e o segundo fechou, ambos de falta, na vitória do Shakthar Donetsk da Ucrânia sobre o Basel da Suíça. Jadson ainda foi eleito o melhor em campo pela Uefa.


Falando dos técnicos, o Felipão deu o primeiro passo para se tornar o maior de todos os técnicos brasileiros. Digo em conquistas, pois não sei se ele é maior que o Telê (sem saudosismo, até porque era um "guri" quando este ainda dirigia o São Paulo). Se ele conseguir desenvolver bem seu trabalho, poderá conseguir conquistar a Premier League e a Uefa Champions League. Elenco ele tem, e dos melhores. Precisará, contudo, vencer de fato, já que com a seleção de Portugual sempre ficou no quase! Já o Zico, bem, este perdeu fora de casa. Levou dois gols em menos de dois minutos ainda no primeiro tempo e não conseguiu reagir. 3x1 para o Porto. Mas, convenhamos, a equipe portuguesa já surpreendeu uma vez, sendo campeã da competição, é osso duro de ruer quando joga em seus domínios. E o Fenerbahce não está entre os favoritos. Melhor sorte para Zico, Roberto Carlos e Alex.


Escrevendo um pouquinho sobre o volei brasileiro, e confesso: fiquei feliz com a decisão de José Roberto Guimarães, técnico da seleçao feminina de volei. Qual? A de permanecer como técnico da seleção feminina de Volei. Isto porque apesar de ter demorado um pouco, de tropeços na caminhada, parece ter mudado a mentalidade das meninas de ouro do Brasil, fanzendo-as mais que um elenco de valor, mas de vencedoras. Por isto a sua permanencia irá fazer o que a de Bernardinho fez na seleção masculina: dar consistência ao trabalho, facilitando, desta forma, a renovação necessária na equipe. Fofão já não será a levantadora titular da equipe, e espero que a seleção feminina não sofra tanto como a masculina. Pra mim, os garotos de prata em Pequim sentiram a falta de Ricardinho. Isto se mostrou claro ao perdermos o Pan, a final da Liga e a final das Olimpíada para os EUA.


Finalizo parabenizando o Vila Nova, de Goiás, claro. Ao vencer o Avaí convenceu estar mesmo pronto para subir à principal divisã do futebol brasileiro. Mostrou, também, que não vive só dos gols de Túlio, apesar destes serem importantíssimos. Queira Deus não termos mais nenhum tipo de tropeço com equipes na degola, como ocorreu na derrota humillhante para o América. Se isto não voltar a ocorrer, poderá o Vila obter a tranquilidade hoje vivida pelo Corínthians. E como seria bom termos o principal clássico goiano na 1ª divisão do Brasileiro de 2009.


Bem, hoje é o niver do meu cunhado. O cara é santista. Nunca vi santista vibrar tanto com vitórias como agora. Segura, senão ano que vem teremos uma série B fortíssima!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Somo melhores como para-olímpicos!

Boa tarde!


Ao superarmos o número de medalhas de ouro conquistadas em Atenas confirmamos: somos melhores como competidores para-olímpicos que olímpicos. Se Clodoaldo da Silva não tivesse sido reclassificado para uma classe com menos grau de deficiência, com certeza estaríamos na sexta posição, uma vez que ele tinha como certo 8 ouros. E, pasmém! Africa do Sul e Espanha, países de dois dos três delegados que o reclassificaram, estariam atrás do Brasil.
Você pode dizer que a comparação não é justa. Nas para-olimpíadas há um maior número de medalhas em disputa. Sim! Isto é verdade! Mas, com toda certeza, há na mesma proporção um maior número de competidores, e as chances creio serem as mesmas. Com isto, creio que o COB deveria anúnciar, fazer estardalhaços, a participação brasileira para-olímpica como seu carro chefe para 2014. Ou seja, ao invés de dizer: "temos o direito de sediar uma Olimpíada pois somos uma das potências olímpicas" , dizer: "devemos cediar as olimpíadas de 2014 por semos de um continente ainda sem uma edição, e, por sermos, com certeza absoluta, uma das potências para-olímpicas".
É claro que, em sua grande maioria devemos isto a alguns atletas, ou, super-atletas como André Brasil, Daniel Dias e Lucas Prado. Eles, juntos, trouxeram mais da metade dos ouros. Entretanto, nas Olimpíadas da China Phelps sozinho ajudou os EUA não ficarem um pouco pior no quadro de medalhas com seus oito ouros. E são a segunda potência olímpica.
Bom, finalizo hoje comentando a Fórmula 1 e algo do futebol.
Na principal categoria do automobilismo o final da temporada promete. E Hamilton tem sido aquele sujeito a botar pimenta no tempeiro. Após provocar Raikkonen dizendo que este não teve peito para o segurar em Spa, em sua última entrevista afirmou: "o título por direito deverá ser meu!". Como foge dos padrões ingleses este britânico. Em nada se mostra reservado, pelo contrário, expõe seu pensamento sem medo, e com isto provoca sensações infinitas em seus concorrentes. Ano passado fez Alonso explodir e não suportar ser batido por um novato. Neste ano, tem feito Raikkonen e Massa temerem a McLaren até mesmo em pistas favoráveis a Ferrari, seja no seco ou debaixo de chuva. Segurem Hamilton, o primeiro negro da história da Fórmula 1 a colocar os brancos contra a parede.
Fechando com o futebol só um comentário: Ronaldo não tem jeito. Não desiste nunca! E está certo. Isto o faz ser quem é. Só precisa de uma acessoria melhor para não voltar a deixar que os assuntos extra-campo sejam prejudiciais à uma volta aos gramados para um final digno do que já fez para o futebol. E esta volta, parece-me, não deverá acontecer no Flamengo. Pelo menos é a notícia dos principais sites esportivos, os quais noticiaram hoje uma possível declaração do Fenôneno na qual ele deseja fazer 50 gols ao lado de Robinho. E isto ele é capaz, se os seus joelhos deixarem.
Um abraço a todos, e, inté mais!


Cleber B. Gouveia.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Domingo difícil!

Bom dia!

Agora são zero hora e vinte e nove minutos de uma segunda feira quente. Fico a imaginar como será durante o dia.

Bom, enquanto fico a imaginar a temperatura de logo mais, tenho certeza de que a segunda será de ressaca. Claro, afinal o Flamengo perdeu mais uma para o São Paulo nesta temporada, estragando o bom retrospecto do ano passado quando empatou fora e venceu em casa. Pior ainda! Perdeu a grande chance de ele, Flamengo, ficar a seis pontos do líder, e a três do vice, dividindo a terceira colocação com o Cruzeiro. Outra coisa clara: o time ainda não tem seu meia de armação. Everton para Caio Júnior é meia ofensivo. Deveria cair mais pela esquerda para fazer jogadas com Juan, o que não fizeram. Mostraram muitos desentendimentos. Em várias jogadas pela esquerda Juan não tocou para Everto, e este levantou os braços com um geste de inconformidade.

Juan, aliás, parece ter sido tomado pelo bichinho (maldito) da seleção. Sim, aquele responsável pelo péssimo futebol dos craques de grandes clubes europeus com Ronaldo, Robinho, e outro. Qual seria este? O Narcisismo! Sim, começam a achar que são bons demais que os outros não mais merecem seus dribles, gols e suas jogadas geniais. Não estou dizendo que não vá jogar bem novamente, apenas o vi tentando jogadas individuais em exagero. Querendo fazer tudo sozinho. Isto foi prejudicial ao time.

O São Paulo por sua vez foi melhor, e mereceu vencer. Se jogar da forma como jogou ontem nos restante de seus compromisso se recoloca como favorito ao título. Muricy fora novamente um grande maestro. Possui um ótimo lateral direito, Zé Luis salvo falta de memória, ótimos meias, Hugo e Hernandes, e atacante oportunista, Dagoberto. Nem preciso falar muito da defesa. Rogério Ceni foi fenomenal juntamente com seus zagueiros.

E o Palmeiras hein! Bem, seria melhor dizer: “e o Cruzeiro hein?!”. Jogando em casa, numa reta final de campeonato, vê o Palmeiras, com um a menos, fazer o papel de mal hóspede, e diante de sua torcida apenas assistiu ao brilho de Diego Souza, revitalizado por Wanderley Luxemburgo. Agora, a diretoria do Palestra deveria ligar para Goiânia e agradecer ao bom futebol apresentado pelo Goiás no Estádio Olímpico do Grêmio. O Goiás, diga-se sem ser torcedor, jogou futebol de time grande. Como o Iarley tem sido fundamental para o time. Ele, Fael, Júlio Cesar e Vitor. Paulo Baier ainda se aproveita do que já fez para permanecer na equipe. Outra equipe "vacilona" foi o Botafogo. Caiu diante do Inter em casa. Tudo bem que o Internacional é um bom time. Mas, perde pontos em casa é uma boa receita para não se alcançar o objetivo de ser campeão brasileiro. Flamengo que o diga.

Ah, ainda tem Formula 1.

Sinceramente fiquei super decepcionado com Massa. Ele se mostrou muito conservador. Se houvesse um pouco só de chuva, Hamilton abriria boa vantagem. Agradeçamos, portanto, à estiagem em Monza. Hamilton foi fabuloso. De um décimo quinto lugar ao sétimo, debaixo de chuva e tudo. Realmente ele é um Montoya melhorado. Agora, é claro que, como brasileiro torço por Massa. Ele, porém, precisará voltar a ser o Massa ousado de sempre. Isto lhe dará o título. E, queira Deus, seja este decidido no Brasil.

Por fim, fecho com as para-olimpíadas. O Brasil bateu hoje o número de medalhas de Atenas: 35 a 33. Não superamos ainda o número de medalhas de ouro. Até agora foram duas a menos: 12 a 14 em Antenas. Este número, entretanto, já teria sido facilmente batido se Clodoaldo Silva tivesse competido na categoria da qual era o melhor em várias provas. Uma pena! Isto, porém, não tira o brilho de outros atletas como André Brasil, Daniel Dias. Ah, no futebol o dia foi assim: levamos uma goleada da Ucrânia (6x0) no futebol de sete, e estamos fora da disputa do ouro. Faz parte! Perdemos de 3 x 0 da Rússia no futebol de 3, e vencemos no futebol de cinco por 5 a 0. Ah, o adversário era o Chile europeu: a Inglaterra.

Bem, vou dormir. Amanhã tenho que acordar cedo para o trabalho.

Inté mais!

Cleber B. Gouveia

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Mais um dia e fim de semana agitado nos esportes

Bom dia!

Tenho que tomar muito cuidado para não ficar preso somente no falar a respeito de futebol. Confesso ser muito difícil, afinal, estou no país do futebol e todas as coisas são voltadas em 90% para este esporte. Contudo, como diz o nome do blog (tô pensando em mudar para Blog do Cleber, o que você acha?), propus-me a falar do "dia nos esportes", e prometo lutar por tal objetivo. Se puder ajudar (O Gildeone já o fez, e eu agradeço).
Bem, fazendo isto, quero falar de duas competições, fora o Brasileirão, a quais estão nos noticiários pelo bom desempenho dos brasileiros: para-olimpíadas e Formula 1. Comecemos pelas para-olimpíadas.
Ontem estive navegando por um blog famoso o qual faz sátiras de tudo e todos, inclusive dos atletas para-olímpicos. Não precisava pegar pesado. Tentei não rir em repeito ao ser humano, e, como disse certa político: "se rir do que dizem ou fazem, estarei concordando ou confirmando tal tipo de ação", e, por favor, não se faz isto com quem lutou tanto para chegar lá, principalmente contra piada como estas. Sei que talvez os atletas nem se importem tanto, mas não poderia deixar de dizer: "Desta vez você foi mal, 'kibeloco!'".
Bom, deixando de lado este humor insensato, mais uma medalha de ouro surpreendente no dia de hoje. Na Bocha, os brasileiros fizeram história ao vencerem os portugueses e subirem ao lugar mais alto do pódio. Quem viu sabe o quanto foi fenomenal o feito. Um dos atletas, Dirceu Pinto, tem um grau de limitações enormes, mas isto não o impediu de jogar com maestria um jogo que requer muita capacidade de calcúlo e precisão na direção e força dos arremessos. Parabéns Dirceu, parabéns Eleiseu Santos.
Outro destaque é Daniel Dias. Travou uma bela luta na manhã de hoje e chegou a sua sexta medalha, desta vez de prata. O Espanhol brilhou. Com apenas uma perna e dois braços amputados levou o ouro com record mundial nos 100 metros borboleta. Parabéns ao Daniel, parabéns ao espanhol, parabéns a todos os atletas para-olímpicos do Brasil e paises participantes: vocês são uma lição de vida e superação.
Na Formula 1 creio que Hamilton criou mais uma dificuldade para o título. Além de ver Massa pertíssimo, no retrovisor, no vácuo para ultrapassa-lo, pode ter mais uma gincane ambulante na pista: Raikkonen. Isto por tê-lo classificado com um "sem peito". Sim, Hamilton declaro que Raikkonen não teve peito para segurar a posição no grande prêmio de Spa, e por isto perdeu a prova. Raikkonen tentou mostrar indiferença, mas sua resposta poderá ser mais insiciva nas pistas, ajudando Felipe Massa a levar mais um título para Ferrari e seu primeiro como piloto.
Bom, como estou no país do futebol não há como fugir de dizer algumas palavras. Afinal, olhando a tabela, jogos importantíssimos irão acontecer, tanto nas duas pontas da tabela. São Paulo e Flamengo, Cruzeiro e Palmeiras, Curitiba e Vitória fazem os classicos e já tradicionais jogos de 6 pontos entre os que estão na luta por uma vaga na Libertadores do próximo ano, e claro, pelo título. Lá embaixo Santo e Fluminense, Vasco e Naútico, Ipatinga e Atlético Mineiro e Atlético Paranaense e Portuguesa lutam para afundar ainda mais um ao outro. Quem perder terá muito o que lamentar na segunda-feira. Ah, claro, o time do Goiás terá muitos torcedores a mais neste domingo, pois, se vencer o Grêmio poderá ajudar a fazer a disputa pelo título ficar mais emocionante ainda.
Finalizo dizendo que o Brasil perdeu sua primeira partida nas para-olimpíadas no futebol de 5. A Russia foi a algoz. Mas, continuamos na briga pelo ouro!
Tenham todos uma boa sexta-feira, e inté mais!

Cleber B. Gouveia

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Acho que estava certo!

Bom dia!



Estamos numa quinta-feira que para muitos vem depois de uma noite de quarta-feira cheia de coisas, dentre as quais, queríamos não terem acontecido; uma delas o jogo da seleção.
Como vivo de escrever o que vejo no mundo do esporte, principalmente a paixão nacional chamada futebol, fui uns dos únicos vitoriosos na noite desta última quarta. Por quê? Simples: uma de minhas previsões aconteceu. O jogo foi feio, sem espaços (a seleção realmente não gosta quando tiram seus espaços, pois não sabe jogar sob forte marcação), e com certeza você, eu e milhões ficaram irados ao perceberem ter perdido tempo em frente a telinha ouvindo Galvão Bueno dizer o que todos viam: não conseguimos jogar contra a Bolívia.
É, a fraca Bolívia, última colocada das Eliminatórias Sul-Americana, mostrou-se um "osso duro de roer". Obedientes taticamente, os jogadores bolivianos escolheram o meio de campo para trás para jogar, e assim o fizeram. Marcaram muito bem! Contudo, por incrível que pareça, as melhores oportunidades no primeiro tempo, se é que foram tão oportunas, originaram-se do ataque boliviano com três chutes ao gol de Júlio Cesar. Já no segundo tempo, não houve tanta coisa assim, a não ser um time brasileiro novamente perdido taticamente, muito fechado no meio, com seus principais atletas fugindo do jogo.
Não é nem preciso dizer que o Brasil foi um time totalmente diferente do jogo contra o Chile. Não que tenha jogado demais no país de melhor economia da América do Sul (para ser claro, estou me referindo ao Chile). Mas lá houve vontade, objetividade. No Rio, no Engenhão, faltou engenharia para a equipe. Diego votou a ser cai-cai. Caiu demais! Ronaldinho aproveitou que joga fora da posição onde mais rende, no lado esquerdo do meio campo, e se escondeu atrás dos zagueiros. Quando tocou na bola, mostrou-se sem inspiração. Errou até as cobranças de falta e escanteios.
Robinho, ah!, o rei na barriga pesou! De tanto se achar o melhor virou medíocre. Sem suas fintas desconcertantes, e buscando o corpo dos jogadores adversários, ou o chão, repetiu hoje a atuação do segundo tempo contra o Chile. Aliás, bem que a Bolívia podia ser o Chile. Parece-me que só gostamos de jogar, atacar, fazer gols, contra o Chile. Bem, mas deixe pra lá. Afinal, o Chile é o Chile, e a Bolívia é... é o último colocado!
E Dunga? Bom, a torcida expressou o que eu e mais alguns brasileiros pensam: "adeus Dunga! Adeus, Dunga!". Só não sei se o Ricardo Teixeira ouviu. É, com certeza não (ah, como quero estar errado!). E o pior de se estar certo no que se fala ou se escreve, é ter o desprazer de ouvir as mesmas desculpas: "não jogamos bem!". Tá, e dai? Perdemos três pontos para a Bolívia! Ouviu bem (ou leu bem)? Para a Bolívia. E ainda teremos que jogar em La Paz. Haja "saco"!
Bom, de tudo que vimos hoje uma coisa fica certa: faltou público não somente pelo fato de se ter ingressos caros demais! Como já disse ontem, sempre foram caros para o bolso brasileiro (aliás, o que não é?). O Engenhão ficou vazio porque a Seleção, como atração, como espetáculo, já não vale o preço cobrado. Pagar 100, 300 reais para sair de casa, pegar um trânsito horrível e ver tudo menos futebol, e a falta de vontade de alguns atletas brasileiros? Só se for muito louco mesmo, ou não queira chegar em casa mais cedo por um motivo qualquer! Sem falar que pagar para sofrer é coisa de gente masoquista, e o povo brasileiro pode ser muita coisa (ingênuo, passivo com a corrupção de políticos, empresários e tal, o mais esperançoso do mundo, e etc, etc...), menos bobo'o (assim espero)! Se pelo menos fosse de graça.
A minha pergunta final de hoje é a seguinte: "será que a seleção terá público no próximo jogo?". Creio que sim! Principalmente se jogar umas 5 partidas maravilhosas, convincente, e o mesmo for realizado num lugar onde ela nunca fosse jogar caso estivesse bem. Tomara que não seja em Goiás, pois, se for, temo estar lá. Afinal, não vou perder a chance de chamar Dunga de bobo de tal perto, não é mesmo?
Gente, chega de falar da Seleção. Tenho mais o que fazer, e minha cama está pronta para aquele sono bem gostoso. E estou muito feliz! Aprendi a não permitir ser incomodado pelas péssimas atuações da Seleção. Se fosse o Flamengo ai seria diferente, bem diferente.
Inté mais daqui a pouco!
Cleber B. Gouveia.

Brasil x Bolivia: o povo já notou que não será um grande jogo...

Boa noite!


Daqui a pouco a seleção brasileira irá fazer seu jogo contra a Bolívia no Engenhão. Apesar da boa expectativa em relação ao jogo (Bolívia nunca foi um bicho de 7 cabeças, nem quando ganhou por 2 x 0 em La Paz) jogado em campo, há uma pessíma expectativa quanto ao jogo fora de campo. isto porque dos 44 mil ingressos somente 20 mil haviam sido vendidos, e todos do menor preço: R$ 30 reais.

O que isto representa? Ingresso caro não o é. Jogos da seleção sempre tiveram ingressos com preço estratrosféricos, muito caros mesmo (será que são cotados em euro? Só pode!). O que acontece então? Primeiro: algo já falado demais em todas as mídias: a seleção não tem identidade com o seu povo. Fora as eliminatórias, os amistosos são todos realizados fora do país, com raríssimas excessões. Os craques, por isto, empolgam mais os torcedores de outros países, pois são lá que jogam um futebol mais bonito. Desta forma, por jogarem bonito somente em seus clubes, já que na seleção atuações apaixonadas são raras, o melhor é vê-los jogar pela tv, onde se paga um pacote mais barato por muitos jogos. Claro, temos a excessão de jogos contra a Argentina. Ai vale a pena ir nem que seja para torce contra a Argentina.

A segunda hipótese seria um protesto. Contra quem? Contra o fato de Dunga continuar a ser técnico da equipe canarinho. Existiria uma forma melhor de assim o fazer? Creio que não. Confesso ainda que, se o jogo fosse em Goiânia, ainda que entrasse de "gratis", não estaria tão empolgado em ir. Afinal, hoje é dia de minha "pelada", e a mim eu "agarantio".

Bom, falando rapidamente do que espero do jogo digo: o normal será um jogo fácil, de um time só, por isto cansativo de se ver. Se não der a norma, um jogo para se passar muita raiva, dizer que tal jogador não presta e o Dunga (todo mundo já sabe) não tem condições de ser técnico da seleção.

Finalizo minhas palavras de hoje com os jogos para-olímpicos. Não tivemos nenhuma medalha de ouro no dia de hoje até o momento. Apesar disto, Daniel Dias foi heroíco hoje. Após conquistar a prata no 50 borboleta, ele correu para o revesamento 4x100 e deu o que podia dar. Clodoaldo mais uma vez sofreu para chegar em quinto na mesma prova. Lendo seu blog, tomei conhecimento de que dois, dos três que o reclassificaram são de países interessados na mesma: Espanha e Africa do Sul. Isto seria o mesmo que jogar Brasil e Argentina e o arbitro e um dos bandeirinhas serem da Argentina.

Bom, depois desta, só indo mesmo....


Inté, e vamo lá seleção... nem que seja para baixo!


Cleber B. Gouveia

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Elenco ou Conjunto? Qual faz um time campeão?

Boa noite, quase um novo dia, já que são 23:34 minutos de 09/09/08.


Domingo, lendo o primeiro comentário do Blog, vi-me conduzido a falar de algo que há muito desejo: elencos. O botafoguense Arlindo (grande amigo!) destacou a força de sua equipe, e concordo. O Time do Botafogo a muito tem um grande elenco. Zé Carlos, Túlio, Lúcio Flávio (para mim deveria compor a armação da seleção com Thiago Neves), Castilho entre outros. Entretanto, olho elencos como o do Fluminense. Que time o Flu possui. Thiago Neves, Thiago Silva, Fernando, Conca, Washington. Só não levou a Libertadores por achar que já havia ganho. Tinha um excelente técnico, Renato Gaúcho. O tem agora, o apesar de chorão, o grande estrategista Cuca. Contudo, onde está este time? Com o empate de sábado na zona do rebaixamente, lugar de onde não consegue se desvincilhar deste o início da competição.

O São Paulo talvez tenha, como gosta de dizer Muricy, o melhor elenco do futebol brasileiro, contudo, não despontou ainda, e anda muito irregular no campeonato. O Internacional possui, na minha opinião, um dos melhores elencos, e é tão irregular que consegue fazer uma partida fenomenal em uma rodada, e outra mediocre na outra, perdendo jogos incríveis.

O que dizer de tudo isto? O Grêmio tem um bom elenco, mas não pode se dar ao luxo de achar que 8 pontos já lhe garantiu o título; que o diga o Flamengo. O Flamengo, aliás, talvez tenha, hoje, o elenco com o maior número de peças de reposição em um mesmo nível, considerado alto. Entretanto, será que Caio Júnior, e o orgulho de alguns jogadores, conseguirá administrar isto, e dar a volta por cima chegando ao título?

Adilson Batista, do Cruzeiro, tem um time inteiro. Pode ter começado mal o segundo turno, mas é uma boa equipe com um bom treinador. Se souber jogar bem os jogos de menor importância terá conseguido o mínimo para os confrontos diretos: confiança. Entretanto, considero sim, o Botafogo e o bem montado time de Wanderley Luxemburgo os grandes perigos ao título do Grêmio. Flamengo e São Paulo terão que torcer muito contra estes, e claro, por um desastre na caminhada gremista.

Desta forma, o que acredito é: não bastar ter um time de estrelas, é necessário haver uma equipe para se tornar um campeão. O Real Madrid que o diga. O Milan e o Barcelona na última temporada europeia, então, nem se fala. Neste ano, o Chelsea montou um bom grupo, com grandes jogadores. O Milan tem Pato, Ronaldinho, Cacá entre outros. Mas, serão vencedores como deveriam? Tenho minhas dúvidas.

Em outras palavras, entendo que no futebol não se cumpre a regra de que o melhor time vencerá. É preciso haver o melhor conjunto. Ou seja, bons jogadores que, em suas posições, jogam o melhor para o time, e na junção de cada um jogando para o outro, obtêm-se o melhor conjunto e consequente resultado almejado : um time campeão.

Lembre-mo-nos dos EUA no Basquete. Eles sempre tiveram as grandes estrelas, mas não o melhor conjunto. Em Pequim, continuaram a ter os melhores jogadores, mas também o melhor conjunto, e venceram. Olhem para o Basquete masculino do Brasil. Há tempos não se vê tantos jogadores em ligas de grande expressão como a Europeia e a norte-americana NBA. Contudo, nunca formaram o melhor conjunto, e talvez por isto tenham sido a geraçã de maior fracasso do Basquetebol nacional.

É por estas e outras que afirmo. O grande desafio não é formar um grande elenco que lhe dê um grande time. Isto é fácil quando se tem dinheiro. O grande desafio é ter sabedoria para fazer deste grande elenco um conjunto que lhe dê uma equipe vencendora, fazendo do seu time não somente grande (em números de jogadores brilhantes e em quantidade de dinheiro e torcedores), mas campeão.

Amanhã falarei (daqui a uns 26 minutos e algumas horas depois de agora) a respeito da Seleção. Vou dormir

Inté!

Cleber B. Gouveia

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Contrariado com o resultado do Brasil? Nem tanto!

Bom dia!
Como diriam alguns amigos: well, well, well... Como algumas vezes ser contrariado não é tão ruim como pensamos.
Afirmo isto com relação ao fato de a seleção brasileira ter vencido o Chile, e bem. Confesso ter torcido por uma derrota, mas não fiquei triste com o acontecido. Afinal, apesar de Dunga continuar, a seleção jogou futebol. Alguns jogadores como Diego, Gilberto Silva, Josué e Maikon me surpreenderam. Isto por considerá-los em muitas ocasiões responsáveis pelo mal desempenho da equipe brasileira.
Diego tem muita vontade, contudo, em muitos jogos, principalmente nos últimos, ela estava centrada no "cair". Apesar de não beber para cair e levantar, o Diego gosta de receber um "encosto" do adversário para logo em seguida cair. Ainda bem que mostrou-se mais inteligente do que eu imaginava, e ontem, ao ver o árbitro ignorar o cai-cai dos jogadores, jogou mais em pé. Talvez por isto tenha feito a sua melhor partida pelo selecionado. Jogou para frente como na época do Santos, e foi importante para a vitória brasileira, tanto que ficou em campo quando Dunga precisou colocar Juan, uma vez que Kléber fôra expulso.
Aliás, o Kléber, só o Dunga mesmo! Não vem jogando bem no Santos. Sua convocação foi surpresa não somente para a grande parte da torcida, como também para o próprio. Mas, para Dunga, ele é o lateral! Bom, pelo menos ao ser expulso, após não jogar nada, fez um bem para a o Brasil. Juan é melhor lateral do que Kléber e Gilberto. Dunga vê isto parcialmente.
Outras "agradáveis" decepções foram Gilberto Silva e Josué. Jogaram muito bem. Josué foi discreto, porém, muito eficiente. Fez o que a muito não fazia desde os tempo do São Paulo: desarmou e passou bem a bola para os meias de armação. Contudo, não vejo necessidade em insistir nestes dois jogadores os quais, creio, não estarão na Copa de 2010 na Africa do Sul. Lucas, Ramires, Hernandes, Anderson, entre outros jovens jogadores - mas já experientes em jogos nacionais e internacionais - dariam mais força e são melhores tecnicamente. Por isto em pouco tempo irão tomar o espaço de Josué e Gilberto.
E quanto ao Maikon? Bem... Antenho-me a dizer que não gosto do seu futebol. Corre muito, vigor físico excelente, contudo, não sabe pensar. Só corre pela lateral e cruza - ou chuta para o gol - mas não sabe "penetrar" e pensar uma jogada diferente. Como digo sobre meu irmão quando jogamos juntos e toco uma bola para ele: depois que decidiu, para fazer algo diferente, impossivel. Mas, uma pena, jogou bem!
Quero comentar ainda a vitória de Massa fora das pistas. Como disse ontem, Hamilton é abusado! Um Montoya mais equilibrado, contudo, às vezes ainda muito desrespeitoso com as regras do jogo. Ontem o foi assim na disputa com Raikkonen pela liderança, e isto lhe custou caro. Diante dos fatos, acredito que Massa está mais perto de conquistar o título. No entando, a Ferrari precisará trabalhar muito, pois a Macklaren tem se mostrado bem capaz de dar um bom carro para Hamilton que, mais uma vez, estava muito rapido!
Ah, não posso me esquecer das para-olimpíadas. A natação do Brasil perdeu muitas medalhas com a reclassificação de Clodoaldo da Silva, mas tem outros "monstros" como André Brasil e Daniel Dias. Um bateu o record mundial nos 100 borboleta. O outro, superou o recordista mundial, o chinês Juanquan He, nos 50 m costas, categoria S5, num final de prova emocionante. Aliás, os atletas para-olímpicos do Brasil têm se mostrado uma lição para nós brasileiros. Não somente de vida e superação, mas de força mesmo!



Inté!

Cleber B. Gouveia

domingo, 7 de setembro de 2008

Dia de decpeções...? Nem tanto...

Bom dia!
Começo meu artigo de hoje com esta pergunta: dia de decepções? E respondo: nem tanto! E explico a seguir pergunta e resposta.
Começo com o Grande Prêmio da Bélgica. Em Spa a expectativa era de uma corrida monumental de Felipe Massa (como vem fazendo na temporada), e com muita sorte, claro. Confesso ter esperado uma arrancada na largada com uma ultrapassagem extraordinária, e manutenção da ponta até o fim, além, é claro, de um "enrrosco" entre Hamilton e Raikkonen. Seria perfeito! Massa tiraria a vantagem do lider do campeonato, e a Ferrari teria a obrigação de fazê-lo seu novo Shumacher, ou seja, usar tudo e todos na equipe em seu favor.
Pois bem! isto não aconteceu (seria demais para mim, não?) e Hamilton contou novamente com sua competência e de sua equipe, e com uma baiiita sorte (novidade, né?)! Claro, pois, apesar de no final da prova vir sendo mais rápido que Raikkonen (tendo ultrapassado o rival a 3 voltas do final), rodou com a chegada da chuva mas não bateu como o atual campeão do mundo (diga-se de passagem ele fez sua melhor corrida no ano), e ainda teve um Felipe conservador na largada e na chegada, conforme o próprio piloto brasileiro confessou em sua entrevista após a corrida.
Bom, Hamilton ter vencido foi ruim, mas o resultado final da corrida não foi totalmente decepcionante. Afinal, Raikkonem está a 15 pontos de Massa e a Ferrari deverá voltar para o brasileiro todo seu arsenal. E Hamilton? Bem, ele ainda se mostra propício a erros em situações adversas, pois, sua vontade de ganhar e ganhar às vezes o faz se esquecer do que lhe tirou o título no ano passado, como podemos ver em alguns momentos da prova.
Mas justiça seja feita, Hamilton é bom, muito bom! Digamos ser ele é um Montoia mais equilibrado.
Bom, o outro assunto é o futebol, claro. Primeiro com o Vila Nova. Que felicidade ver o Vila bem na segunda divisão! Apesar de ainda faltarem rodadas 15 rodas para o fim do campeonato, 45 pontos em disputa, a equipe vem jogando bem, sabendo utilizar o fator campo, e sabendo se impor fora também. São 5 pontos do quinto colocado, e confrontos diretos em casa contra 3 concorrentes diretos (Avai, Ponte e Barueri ). Além disto, conta com uma equipe bem montada por Gilvanildo, e com Túlio.
Aliás, Túlio é o cara! Como Romário, ele sabe os caminhos dentro da grande e pequena áreas. Sim, ele sabe fazer gols de cabeça, sabe receber a bola com os pés, e, cercado de adversários bem mais novos e cheios de vigor físico, utiliza os anos de experiência para vencê-los e fazer gols importântíssimos para o Vila Nova ( e para ele também, afinal, é artilheiro com 20 gols, e está próximo de ser o único jogador brasileiro artilheiro das três principais divisões do futebol brasileiro). E, por estas e outras que acredito no Vila. Ano que vem deveremos ter os principais clubes em Goiás por duas vezes. Grande presente para os goianos.
E, finalizando minhas palavras de hoje, seleção brasileira, claro. O título do artigo, aliás, tem muito a ver com o selecionado canarinho. Afinal, será mesmo que uma derrota hoje será tão decepcionante? Creio que não. Na verdade, em conversas feitas nas rodas das panificadoras vejo muitos torcedores dizendo ser uma derrota para o chile, se vier acontecer, o fim de tanto sofrimento, e definitivamente da era Dunga na seleçao. Só tenho medo de uma coisa: esta geração já deixou muitos tabús favoráveis ao Brasil cairem. Tomara que não venham ( e eles parecem não se importarem tanto com isto) ser a geração a qual deixou seleção fora de uma copa do mundo. Vamos torcer pelo melhor. Quem sabe uma vitória bem fraca venha a ser a gota d'água para Dunga.
Abraços!

Cleber B. Gouveia.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Por ser brasileiro

Bom dia!





Hoje, sexta-feira, perto de um fim de semana que promete muito no futebol, pois os jogos de amanhã do campeonato brasileiro pode mecher com a zona de classificação, dando a Botafogo a volta ao G4 e ao Grêmio a possibilidade de amplicar sua vantagem, já que o Palmeiras levou uma legítima "rasteira baiana" do Sport (será que é o carrasco do verdão neste ano?Rs) em casa.

Falando do jogo do Vasco x Cruzeiro, penso que o Vasco começa a dar medo novamente ao seu torcedor após sua segunda derrota seguinda. Descendo a ladeira vejo um goleiro Tiago não conseguindo ser o mesmo dos tempos da Lusa (os portugueses de lá tinham pasteis melhores? Ou são mais legítimos que os vascainos?), e o Cruzeiro, com o bom Ramires (Dunga, Josué ?Ai não né?) precisou apenas jogar o nescessário para vencer, dando mostras de que ainda é um bom candidato ao título.

Seleção Brasileira: o que vejo? Noto que no domingo estaremos divididos. Sim, pois, apesar de não torcermos para o Chile (digo torcer no sentido de queremos que ganhe por simplesmente ser o Chile), uma boa parte dos torcerdores brasileiros irá torcer para que Dunga, e não o Brasil, perca. Isto porque há, entre eles eu, um grande desejo de mudança de rumo na direção técnica brasileira. Dunga já mostrou a que veio, e, não é para mudar a cara do Brasil, o futebol retranqueiro praticado na época de Parreira e que nos levou ao fracasso na Copa de 2006. A única coisa que a mim preocupa é a possibilidade de o problema não ser Dunga, ou Luxemburgo, ou qualquer um que ali entre para treinar a Seleção, mas sim, Ricardo Teixeira. Este, pelo visto, ninguem o tira de lá.

Finalizando, fico totalmente indignado com a situação de Clodoaldo da Silva, nossa grande estrela nas para-olimpiadas. Como podem fazer isto a dois dias de inciar a competição? Com toda certeza, se fosse um americano, um australiano, um britânico ou alemão que seja, com quase toda certeza não teríamos tal situação desestabilizadora (e sem sentimentalismo de inferioridade). Outra coisa, fala-se que este foi reenquadrado numa categoria onde os outros competidores têm um nível de deficiência física menor. Como pode? Então ele deveria continuar onde estava, ou criarem um categoria intermediaria, ou não? O certo é que não está, o Clodoaldo Silva, em condições de vencer mais este obstáculo, como visto em suas entrevistas no dia de hoje.

Que falem os especialistas!



Fico por aqui, na espera de um dia menos quente e com chuva, fina e fria.


Inté!

Cleber B. Gouveia.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Trabalho para os que lutam pelo título

Bom dia!


Aqui em Anápolis-Goiás (cidade onde moro), o dia de hoje apresenta, fora o clima seco e quente, muito trabalho. Da mesma forma, creio ser o dia-a-dia dos técnicos do brasileirão. Alguns para manter o rítmo acelerado de crescimento, como Ney Franco do Botafogo, outros para manter o time na regularidade, como Celso Roth do Grêmio e Wanderley Luxemburgo do Palmeiras, e por fim, os que trabalham muito para re-colocar a equipe de volta à disputa do Título, como Caio Júnior do Flamengo, Muricy do São Paulo, e Adilson Batista do Cruzeiro.

Dentre estes, penso que os três últimos são os que terão muito trabalho pela frente. Muricy tem o labor mais díficil. Afinal, a equipe, apesar de um bom elenco, parece-me cansada. Não somente fisicamente, mas cansada de trabalhar com o clima de cobrança que sobre ela vem tanto da torcida, diretoria, e principalmente de Muricy. Talvez já haja certo desgaste e para alguns o clima de que já tenha feito tudo que deveria ter feito no São Paulo. O desempenho irregular no campeonato,pela equipe que possui, sem perder quase ninguem, mostra isto.

No Flamengo, o técnico Caio Jr terá uma tarefa complicada para administrar o baixo rendimento de alguns jogadores do elenco do ano passado (mais os jogadores do meio) com a motivação dos que chegam. Sem falar que antes ele não tinha um meia ofensivo, agora tem 3. Marcelinho paraiba é meia hoje, não mais um atacante. Mas, administrar do meio para frente é bom, já que o sistema defensivo tem se mostrado estável. Se conseguir, o Flamengo voltao ao páreo.
O Cruzeiro precisa ficar atento. A equipe não está muito bem neste início de segundo turno, e pega um vasco embalado, pois nos últimos quatro jogo sofreu apenas uma derrota, e deseja manter-se longe da zona do rebaixamento. A equipe mineira precisa mostrar preparo psicológico para não cair de rendimento, e continuar na luta pelo título.

Agora, minha felicidade está em ver oVasco lá em baixo. Bom, na verdade não estou tão feliz. A má fase do Vasco poderá fazer o quase morimbundo do Eurico voltar a ter forças no clube, e isto seria muiiito prejudicial ao futebol brasileiro. Se fosse somente para o vasco, até seria bom! Rs

Saudações flamenguistas, e acredito, este ano não é do São Paulo, para o bem do futebol brasileiro.

Inté!


Cleber B. Gouveia